segunda-feira, 2 de maio de 2011

Sonetos Góticos



O que seria da vida
Sem a luz da tua alma a me lumiar
Como seriam os meus dias
Sem o ardor do teu altar
ΨΨΨΨΨΨΨΨ
Onde encontro meu abrigo
Em tal sentido sem razão
Pois tu és canção lírica
Que reluz minha alma agora
Teu sentimento obscuro
É minha felicidade mórbida.
ΨΨΨΨΨΨΨΨ
Um amigo me ensinou a amar
Um inimigo me ensinou a odiar
Um pensamento me ensinou a rimar
Para as trevas me apagar...
ΨΨΨΨΨΨΨΨ
A ansiedade me faz buscar algo...
Algo que não encontro Viagens
Ao meu subconsciente me acalmam.
Mas a dor é como
Uma navalha que rasga a pele fere a carne.
Cicatrizes, nunca somem são marcas.
Do destino que moram em nosso corpo. 
ΨΨΨΨΨΨΨΨ
Vejo a noite chegar, e com ela os doces.
Delírios que a dor vê aliviar
Cansei de sofrer só me
Resta esperar e à tristeza me entregar
ΨΨΨΨΨΨΨΨ
Que por nele viver, amar e.
Sofrer vai escriturando
Como lampejo em duros
Enganos de minha dor, E assim…
Com palavras te beijo!

Por Tiago Dotto (Goticus Eternus)

4 comentários:

  1. Tá lindo esse.Triste e encantador

    ResponderExcluir
  2. Nossa está muito bonito! e intenso!

    ResponderExcluir
  3. Interessante algumas partes, curti :)

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito doh Curso e em cometario do poema :'( :)(

    ResponderExcluir