sábado, 16 de junho de 2012

Gothorum Angeli

 Com os meu olhos carregados e úmidos
Trago no peito o amargo sentimento
Da desconfiança que encena minha dor
Como uma dança

Uma triste e íntima pajelança
Do escuro caminho que trilho
Assobio a canção sem estribilho
O desencanto de um sonho que evaporou

Semeando a tristeza que sobrou
Me levando aos prantos
Às lágrimas que denunciam
Meu estado de espírito

Musa dos Escombros
A quintessência plena da elegia
Dai-me forças para elevar
Minha fraqueza à graça da poesia

Anjos Góticos talhados na pedra
No mármore, na carne
Únicas testemunhas
de minha queda

Perdoem minha alma
Turva e rastejante
E este sentimento vil
E agonizante

Não sei se minto
Mas sei que sinto
que não serei
Mais o que sou

Neste crítico momento
do Mais
Profundo
Lamento
     Por Tiago Dotto(Goticus Eternus)

4 comentários:

  1. Lindos versos, especialmente quando fala de Musa dos Escombros e Anjos talhados na pedra...deu pra sentir a cinza frieza das linhas.
    Você usou belas imagens para ilustrar os sentimentos.
    Parábens.


    Relicário de Sangue (http://sofiageboorte.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  2. Tão nostálgico mais lindo! beijos lord

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Lord Tiago!
    Excelente seu poema !

    Tenha uma boa noite!

    ResponderExcluir